Moça: Sabe, eu estava pensando um pouco sobre o Natal. Sempre quando chega essa época do ano a gente ouve e fala muito em Natal. Basta ligar a televisão e pronto, lá está o natal em tudo e para todos os lados. As lojas, as casas e até as ruas estão enfeitadas para mostrar um clima diferente e todos se esforçam para entrar no clima do natal. Compramos presentes e a expectativa para a noite de natal é grande. Mas quando finalmente chega o dia 25, nos frustamos um pouco, pois a gente vê que aquele clima todo era só fachada; só estratégia para as lojas venderem seus produtos. E aí, nós sentimos um vazio muito grande e temos a impressão que está faltando algo.

Eu já ouvi muita gente dizer que só os pobres entendem o sentido do natal e que os ricos não podem entender. Eu não sei se isso é verdade. É, mas se for, deve ser por isso que eu não entendo o verdadeiro sentido do natal, pois não sou nem rica e nem pobre. Deve ser por isso que eu sempre fico triste nesse dia. E, pensando bem, acho que só houve um natal de verdade, só aquele em que a estrela brilhou com muita intensidade. É, aquele natal, o primeiro, quando Jesus nasceu em Belém. Imaginem: a estrela brilhando, os anjos cantando, os pastores e os reis adorando o menino Jesus pessoalmente. Ah, acho que se estivesse lá, naquele dia, eu entenderia o sentido do Natal de fato. Mas como eu não estive lá, eu devo me conformar, a final, acho que não sou só eu que sinto isto. Natal deve ser só isso mesmo, eu é que fico fantasiando, achando que pode ser diferente.

(Baixa a cabeça triste e de repente ouve uma voz).

Voz: Ei, psiu. (Ela olha para os lados) Eu ouvi você falando em Natal, e quero dizer para você não se conformar. Natal não é só isso. Natal pode ter um sentido verdadeiro.

Moça: A pode? Então me dá a receita.

Voz: Pode sim. Como eu nasci em Belém e houve brilho no céu e anjos cantando, vai acontecer de novo, se você deixar eu nascer em seu coração. Pode pegar a bíblia a ler, pois lá está escrito que há júbilo no céu quando um pecador se arrepende e me deixa entrar em seu coração.

Moça: Quer dizer que... Jesus és tu mesmo que estás falando comigo?

Voz: Sou sim. Eu falo com todos aqueles que anseiam pela minha presença.

Moça: Jesus, eu quero que tu nasças em meu coração, eu quero entender o verdadeiro sentido e a verdadeira alegria do Natal.

Voz: se assim queres, podes seguir o teu caminho e eu estarei contigo por onde quer que andares.

Moça: valeu Jesus, eu já estou sentindo uma paz.

Voz: Ei, espere aí.

Moça: Pode falar, eu estou ouvindo.

Voz: Você não estava errada em uma coisa, pois há muita gente como você, que não compreende o sentido do natal. Agora que você já entende, eu quero que você seja minha mensageira e vá dizer para as pessoas aquilo que eu disse para você. Vá mostrar aos outros o verdadeiro sentido do natal.

Moça: Legal Jesus, já estou indo.

Voz: Vá, mas olha, não é verdade que só os pobres entendem o sentido do natal. Tanto os ricos como os pobres podem entender o sentido do natal. Tanto, um como o outro só vai entender o sentido do natal quando me deixar nascer em seu coração. Portanto, vai e leva essa mensagem, tanto a ricos como a pobres.

Moça: Para os de classe média também?

Voz: Ô menina.

Moça: É brincadeirinha, Jesus.

(Abrem-se as cortinas e tem duas casas, uma rica e outra pobre.)

Mulher rica: Menino, não mexa aí. Não desarrume a toalha. Ah, minha irmã, por favor, dê um jeito nesses teus filhos. Parece que eles são elétricos. Não param nunca.

Irmã: Calma, criança é assim mesmo.

Mulher rica: Pieri esta bandeja não é aqui. Faça-me o favor. Você não aprende nunca?

Pai rico: O que é isso mulher? O que você tem? São as crianças que estão elétricas e você é que dá choque?

Mulher rica: Eu estou nervosa, pois me preocupo tanto com os preparativos para o natal e quando ele chega não tem graça nenhuma, não tem sentido nenhum..

Irmã: Ah, também não é assim, pois está tudo tão bonito.

Mulher rica: É, está tudo bonito por fora, mas lá dentro do coração falta algo. Não falta em vocês também?... Vai diz. Pelo menos uma vez sejam sinceros. Admitam. Eu já admiti.

Todos: É. É verdade. Eu também me sinto assim.

Pai rico: Eu daria tudo o que tenho para entender o sentido do natal, para estar feliz neste dia.

Mulher rica: É, mas feliz de verdade não é?

Irmã: Mas acho que não há nada a fazer.

Moça: (dá um salto) Te enganas, há algo a fazer sim.

Pai rico: Ei, de onde você saiu?

Moça: Isto não interessa. O que interessa é que eu tenho a resposta para as suas perguntas.

Mulher rica: Eu sei, você vai dizer que temos que ficar pobres, não é?

Moça: Não, não é isso não.

Irmã: Então o que é?

Moça: Natal significa: Jesus nasceu, sabiam?

Todos: Sim.

Moça: Então para vocês entenderem o sentido do natal é só deixar Jesus nascer em seus corações, e se assim quiserem e fizerem, entenderão o sentido do natal.

Pai rico: E como você sabe disso?

Moça: Eu sei porque pensava assim como vocês. Quando deixei Jesus entrar em meu coração, tudo mudou e hoje é o meu primeiro natal de verdade. O primeiro natal em que eu estou feliz. Olhem para mim.

Mulher rica: E como a gente faz?

Moça: É simples, basta pedir para Jesus entrar no teu coração e ele entra.

Todos: eu quero.

Moça: Então cada um pode fazer a sua oração particular e lhe dizer isto. (Depois da oração há transformação, a mulher rica está brincando com as crianças, etc. A moça vai saindo e todos dizem)

Todos: Ei amiga, valeu, tá,

Filho pobre: O mãe, não chora, hoje é natal e a senhora deveria estar alegre.

Outro filho: É pai, o Senhor também não deveria estar triste. A gente não vai morrer por comer feijão na noite de natal. (Aí é que a mãe chora)

Filha pobre: uma amiga disse que fazia mal comer feijão domingo, agora imagina no natal.

Outros filhos: Cala a boca menina.

Pai pobre: Comer feijão ou não, não é o problema, pois natal deveria ser mais que comida, mais que festa. E se fosse assim, nós estaríamos felizes, mesmo comendo feijão.

Mãe pobre: É, mas é todo ano assim. (chora) E ainda dizem que pobre é que sabe o sentido do natal.

Pai pobre: Se eu soubesse o que fazer, o problema é que eu não sei.

Moça: Pois então os teus problemas acabaram.

Mãe pobre: Como você entrou aqui?

Moça: Isso não interessa. Mas o que interessa é que eu tenho a solução para os teus problemas e as respostas para as tuas perguntas.

Pai pobre: então fala logo.

Moça: Queres ser feliz, mesmo comendo feijão.

Todos: Sim.

Moça: Então deixa Jesus nascer no teu coração. Legal, até rimou. É, mas é isso mesmo. Só Jesus traz a verdadeira felicidade e esta felicidade dinheiro não compra, mas Jesus te dá de graça.

Mãe pobre: E o que temos que fazer para a gente ser feliz? Como Jesus pode entrar em meu coração.

Todos: É, como?

Moça: Através da oração, pois ele vem ao encontro de quem o chama e entra no coração de quem abre o coração para ele entrar.

Pai pobre: E como a gente ora?

Moça: Orar é conversar com Jesus. Então cada um pode fazer uma oração silenciosa e pedir para Jesus nascer em seu coração. Pode falar como você sempre fala. Não precisa achar palavras bonitas, pois o que Jesus quer é sinceridade. (Depois da oração tudo muda, até o feijão tem gosto de chocolate).

Filho rico: Mãe, vamos chamar os nossos vizinhos para festejarmos juntos.

Mulher rica: Vamos! Ei vizinha você e sua família poderiam vir festejar o natal conosco?

Mãe pobre: Claro.

Todos os filhos pobres: Oba.

Filho rico: O que vocês estavam comendo? (pergunta ao pobre)

Filho pobre: Feijão.

Filho rico: Sério?

Filho pobre: Por que , vais rir?

Filho rico: Não, é porque eu gosto muito de feijão. O mãe, eu quero comer feijão, eu quero.

Irmã: O que é isto menino? Onde eu vou achar feijão agora?

Filho pobre: Lá em casa.

Mãe pobre: Cala a boca, menino.

Mulher rica: Tem feijão lá?

Mãe pobre: É, tem.

Pai rico: Então busca. Eu gosto tanto!

Filhos: Vamos acabar com as divisas! (Tiram as divisas e todos formam uma só família).

Moça: Puxa, que legal! Jesus é mesmo tremendo! Ele transformou toda aquela tristeza e desânimo em alegria. Se não fosse ele cada família estaria no seu canto triste. Assim, dividiram o que tinham e todos ficaram felizes.

Voz: Ei, filha!

Moça: Fala Jesus.

Voz: Agora que você já fez a sua parte, pode sair que eu quero falar com esse pessoal.

Moça: Que pessoal?

Voz: Esse que está te assistindo.

Moça: A é? Então estou saindo.

Aparece o dono da voz.

Voz: Eu não sou Jesus, mas quero dizer que tudo que vocês viram é de fato verdade. Jesus faz a diferença na vida de qualquer um.Eu não preciso dizer como vocês devem fazer para Jesus entrar no coração de vocês, pois isto vocês viram no teatro. É so fazer igual, orar e dizer que você quer que Jesus entre, e ele vai entrar. Vai nascer em teu coração. E é a partir deste momento que você vai começar a entender a alegria e o verdadeiro sentido do natal. Agora é com cada um. Porque este final, você decide, e ninguém pode decidir por você, só você mesmo. Valeu?


2 comentários:

  1. muuuuiiiittttoooo bommmmmmmmmm(h)

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito muito muito... Espero que não se importe se eu apresentar na igreja (que eu frequento)... Muito boa mesmo!

    ResponderExcluir

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top