AUTOR: PAULA DULCE BREVES


(Dentro de você se esconde alguém que seus irmãos em Cristo não conhecem!)

Nove jovens cristãos se reúnem para tratarem de assuntos da obra de Deus na casa do irmão Lucas. A reunião é uma benção, regada a muita descontração. Mas um temporal aprisiona os jovens na casa. Um décimo jovem aparece, entrando na casa para se abrigar da chuva. Trata-se de Sérgio, amigo do irmão de Lucas e vítima do mundo e do pecado. Diante da situação, os jovens evangélicos resolvem se distrair com o jogo dos "segredos". Sérgio indiferente prefere permanecer distante. Os crentes se assentam em círculo e tem início a diversão. Cada um faz para o outro a pergunta que quiser, sobre qualquer assunto e a única resposta aceita é a verdade. Mas as perguntas vão se tornando pessoais demais e alguns são obrigados a mentir, mas a verdade é exigida. E o que no início era apenas uma brincadeira se transforma num clima desconfortável e desagradável, piorado pela presença de Sérgio que acusa os jovens evangélicos de serem falsos crentes. Tudo se desenrola muito mal, criando uma atmosfera agressiva e perigosa. E tudo pode acabar muito mal...

ABRE-SE AS CORTINAS: CENÁRIO DE UMA SALA. APENAS LUCAS NA CASA.

OUVE-SE A VOZ DO NARRADOR QUE APRESENTA OS NOVE JOVENS. CADA UM ENTRA USANDO UMA MÁSCARA (APENAS EM TORNO DOS OLHOS). SE MOSTRAM SORRIDENTES ENQUANTO O NARRADOR CONTA SUAS QUALIDADES E SE TORNAM SÉRIOS QUANDO OUVEM SEUS DEFEITOS.

LUCAS: O presidente dos Adolescentes. Respeitado e admirado por toda igreja pela sua vida consagrada e santificada a Deus. Mas se esconde dentro dele um homem preconceituoso, crítico e extremista. E os seus defeitos serão revelados...

LUCAS VAI RECEBENDO OS IRMÃOS COM ALEGRIA.

JOÃO E GEISA: (entram abraçados e se separam no meio da narração) Casal de namorados admirado pelos irmãos pela conduta respeitosa e pela vida de oração a dois. Um verdadeiro exemplo de namoro cristão para todos os jovens. Mas João não é fiel a namorada e isso vai ser descoberto. E pior, o casal não tem uma vida santificada, e isso também vai ser descoberto.

DENISE E CLÁUDIA: (entram de mãos, se separam no meio da narração) Filhas de diácono da igreja. Denise, a mais velha é conhecida pelo seu carisma e educação. Mas atrás de sua doce personalidade se esconde uma moça agressiva, que só está na igreja porque os pais ordenam. Ela não tem uma experiência com Cristo, mas finge ter. Cláudia vive a sombra de Denise, dominada e comandada pela inveja. As duas não combinam e seus sentimentos serão descobertos.

CÉSAR: Teve um encontro com Cristo e se tornou um ex-marginal, deixando a vida de vício e roubos. César é o orgulho da igreja e serve como exemplo para todos, de uma bela transformação de vida. Mas ele vai se entregar, mostrando suas fraquezas e principalmente que sua natureza pecaminosa ainda o persegue.

JANAÍNA: Responsável pelo grupo de oração dos jovens. Conhecida e respeitada na igreja como uma moça de oração. Mas ela tem um defeito e vai ser descoberto: Janaína é carente e entre os rapazes mundanos é conhecida como uma menina fácil, que namora qualquer um.

ANDERSON: Foi curado de uma doença terminal. É querido por todos. Todos gostam de seu jeito amigo e amável de ser. Mas Anderson tem uma vida espiritual vazia e sem ação - não ora, não lê a Bíblia, não se santifica e isso vai ser notado.

ADRIANA: Estudada, inteligente e bonita. Apenas isso, bonita. Adriana é fútil, só pensa em coisas materiais e se acha superior a todos, desprezando os humildes e carentes.

1ª PARTE - UNIÃO E AMOR ENTRE OS IRMÃOS

CENÁRIO: Ao fundo desenho de uma sala. No centro um tapete com almofadas espalhadas no chão que serviram para os jovens se reunirem. Sob uma mesinha, o telefone, refrigerantes e biscoitos.

A reunião tem inicio na casa de Lucas, antes piadinhas de que Lucas não mora, esconde... Oram e Lucas inicia que precisam criar um jornal para a mocidade. Animadamente, cada um dá o seu palpite sobre o que deveria conter no jornal. Súbito, ouvem trovões e resolvem acelerar a reunião. Muita brincadeira e risos entre eles. Lucas encerra a reunião com uma linda oração, em seguida todos se abraçam confraternizando.

Mas todos ouvem o barulho da chuva caindo. Janaína estava sendo levada à porta por Lucas.

JANAÍNA: Oh não, Lucas! A chuva começou, e eu não poderia ficar presa aqui!

LUCAS: O jeito é esperar a chuva passar gente!

Súbito entra SÉRGIO correndo, todo molhado. Todos as personagens ficam inertes e ouve-se a narração.

SERGIO: Não conhece Jesus. Ele conhece alguns dos nove jovens cristãos e pior, sabe dos erros de alguns. Ele não acredita em Jesus e tem como prova da inexistência de Cristo a imunda vida dos jovens que a chuva o obriga a conviver. Ele sabe dos erros, ele vai contá-los.

SÉRGIO: Oi Lucas, tá chovendo a beça lá fora, se importa de eu ficar aqui até a chuva passar?

LUCAS: Sérgio, claro que não! Tá todo molhado! Espera aí que eu vou buscar uma toalha pra você se enxugar. Gente, esse é Sérgio, amigo de meu irmão... Sérgio, são todos meus irmãos em Cristo, vão se conhecendo aí.

Lucas sai pra buscar a toalha, enquanto os cristãos se apresentam, mas Sérgio não se mostra receptivo. Lucas lhe entrega a toalha e ele se senta afastado do grupo.

LUCAS: Podemos continuar a reunião, ainda falta muita coisa pra tratarmos.

CLAUDIA: Ah não, por favor, estamos presos aqui devido a chuva, vamos fazer uma coisa diferente.

JANAÍNA: Eu aconselho, que oremos.

ADRIANA: Eu acho que podíamos nos divertir um pouco.

LUCAS: Se tem alguma idéia, fique a vontade, eu não vou falar mais nada.

ADRIANA: Enquanto a chuva não pára, podíamos brincar de jogo dos segredos.

GEISA: Como é isso?

ADRIANA: Simples, ficamos todos sentados, um com uma bola nas mãos, joga a bola pra outra pessoa e faz uma pergunta e o que recebeu a bola fica de pé e só pode responder a verdade. E assim, sucessivamente.

JOÃO: Hum, achei muito infantil. É melhor esperarmos a chuva passar!

DENISE: Achei legal, é bom que podemos perguntar sobre tudo. Vamos gente, isso vai nos deixar mais íntimos, é bom pra conhecermos uns aos outros melhor.

LUCAS: É, olhando por esse lado eu acho positivo. (Todos se animam) Eu vou buscar uma bola.

Lucas volta com uma bola colorida. Todos se sentam pra começar a brincadeira. Menos Sérgio que continua sentado distante numa cadeira.

LUCAS: Se aproxime, Sérgio, venha brincar conosco.

SÉRGIO: Estou muito bem aqui, não quero participar dessa palhaçada. Será que seu irmão vai demorar?

LUCAS: (sem graça) Não sei!

Os nove se sentam em círculo, comendo biscoitos e rindo. Uma bola nas mãos de Adriana que vai começar.

ADRIANA: Gente, então fica decidido que vale qualquer pergunta, sobre qualquer assunto e só a verdade pode ser respondida.

2ª PARTE - VERDADES E MENTIRAS

Adriana joga a bola pra Lucas que se levanta:

ADRIANA: Todos sabemos que não é nada fácil ser líder, então, como você lida com isso?

LUCAS: Eu estou sempre consagrando minha vida. Acho importante fazer tudo com muita oração antes e é claro, não fico um dia sem jejuar. E muito menos deixo de ler vários capítulos da bíblia por dia. Tenho certeza que sou um líder perfeito.

Lucas joga a bola pra João e pergunta: João, todos nós lembramos quando você e Geisa começaram a namorar. Ma nos conta melhor como foi isso, quem começou, quem paquerou quem?

JOÃO: (risos) É claro que foi a Geisa! (Geisa nega) Não, foi ela sim. (Geisa infatiza que era ele que insistia para orarem) Não, eu confesso que amei desde o primeiro dia que a vi. (Geisa também confessa amá-lo, se abraçam e todos aplaudem animadamente)

João joga a bola pra César: César, antes você vivia num mundo sujo, envolvido com drogas e marginais, e agora você é uma benção na presença do Senhor. De toda a mudança em sua vida, o que você acha que mudou mais?

CÉSAR: Foi a minha perspectiva de futuro, com Jesus acredito que o melhor está por vir em todos os aspectos de minha vida.

César joga a bola pra Denise: Denise, eu tenho uma admiração muito grande por você (os outros brincam) Não, é sério, gente! Eu queria saber como é a sua vida espiritual?

DENISE: Bem, eu leio a bíblia todo dia durante uma hora e oro na parte da manhã e da noite.

CLAUDIA: Engraçado, eu nunca vi isso!

DENISE: (sorri amarelo) É brincadeira dela, gente, e além do mais dormimos em quartos separados.

Denise joga a bola pra Anderson: Jesus te curou de câncer, como foi quando você soube disso?

ANDERSON: (contem as lágrimas) Desculpem, mas sempre me emociono quando lembro. Durante um culto de oração eu senti Jesus me tocar e sabia que estava sendo curado. É muito difícil expressar gente, é uma experiência fantástica e muito pessoal.

Anderson joga a bola pra Lucas: Você é todo misterioso, é verdade que você gosta da Carlinha?

Risos e Lucas embaraçado, forçado a dizer a verdade confessa que sim.

3ª PARTE - ACABOU A BRINCADEIRA

Lucas passa a bola pra Sérgio querendo que ele participe. Sérgio pega a bola no susto.

LUCAS: Sérgio, vem brincar com a gente. Você vai ver que é legal pra gente se conhecer melhor.

SÉRGIO: (se levanta, irritado joga a bola em Lucas, que rola pela sala. Adriana pega a bola e toda sem graça entrega a Lucas) Deixa de palhaçada, Lucas. Não sou ridículo igual a vocês. Por isso, e por muito mais que não suporto crente.

LUCAS: Desculpa, Sérgio, só queria fazê-lo se enturmar. Achei que gostaria. É infantil a brincadeira, mas ajuda a nos conhecer. Cada um faz a pergunta que quer e só respondemos com a verdade.

SÉRGIO: Não, vocês não são verdadeiros. É claro que só falarão o que convém.

CLAUDIA: Somos cristãos, e fique sabendo que não mentimos. Sempre falamos a verdade!

SÉRGIO: (toma abruptamente a bola das mãos de Lucas e joga em Janaína que segura assustada) E aí, aquela noite que nós ficamos não vai rolar mais não?

Coloca-se uma música sonora de suspense. Janaína fica desconcertada e deixa a bolar rolar de suas mãos. O silêncio invade a sala. Todos se olham intrigados. Janaína levanta sua máscara deixando-a nos cabelos. Obs.: foi desmascarada, mas ainda deixou a máscara.

ADRIANA: Você está confundindo Janaína com alguém, ela é responsável pelo grupo de oração e jamais ficaria com alguém ou entraria num namoro de julgo desigual.

SÉRGIO: Julgo desigual? Sei lá o que é isso!

LUCAS: Que somos cristãos, e assim sendo, não ficamos com quem não professa a mesma fé em Cristo Jesus.

SÉRGIO: (solta uma gargalhada) Eu já fiquei com Janaína e fico quantas vezes eu quiser.

O clima torna-se desconfortante. Todos atônitos. Janaína pega sua bolsa pra sair, mas Adriana a cerca.

ADRIANA: Quem diria, hem, a moça de oração não pode ver um rapaz mundano!

JANAÍNA: Cale a boca. Ninguém não tem nada com a minha vida. E quem você pensa que é Adriana, não passa de uma soberba, acha que é melhor que todo mundo.

ADRIANA: (levanta sua máscara) Pelo menos, não sou fácil e vulgar como você.

Janaína é impedida por Lucas de agredir Adriana.

LUCAS: Parem com isso, a comportamento de vocês duas é totalmente inaceitável. O que pensam que estão fazendo? Em nosso viver não pode existir lugar para situações assim.

JANAÍNA: Você se acha o senhor perfeição, não é Lucas?! Sempre sendo moralista, o santo! Na verdade está sempre criticando as pessoas, se achando superior a Deus!

LUCAS: (levanta sua máscara) Isso é um absurdo! Estou sempre procurando tratar todos bem!

CÉSAR: É, mas quando eu entrei na igreja, você me desprezou, Lucas. Tudo bem, eu estava drogado, mas só por isso me tratou igual cachorro. Eu me lembro, você falou assim: Já tenho luta demais, não sou obrigado a aguentar essa gente! Me empurrou e saiu. Ainda bem que outros irmãos em Cristo me ajudaram, senão hoje eu estava no mundo. Eu estou falando isso, mas não tenho mágoa nenhuma Lucas, hoje eu te amo como meu irmão em Cristo e por isso estou aqui. (levanta sua máscara)

SÉRGIO: (ri debochadamente e diz) Tá tentando enganar quem, cara. Eu não acredito que regenerou, conheço bem a sua fama, pra mim você tá querendo enganar a polícia!

DENISE: Se tem alguém enganado aqui, é você. Que não conhece o que Jesus pode fazer na vida de uma pessoa. Ele transformou a vida de Cesar, a vida de todos nós e pode inclusive mudar a sua.

Claúdia pega a bola e joga em sua irmã Denise.

CLAUDIA: (levantas sua máscara) Transformou mesmo sua vida, minha irmãzinha, então me responda porque ainda fala palavrão e dança sensualmente as músicas de pagode?

DENISE: (levanta sua máscara) Isso é mentira. (Denise vai aos berros pra cima da irmã) Reitre isso, negue isso tudo agora. Desfaça essa mentira.

CLAUDIA: Calma, maninha, está descontrolada.

DENISE: Todos têm suas fraquezas e eu tenho as minhas. Não me olhem como se eu fosse a pior das pecadoras. Eu estou lutando contra minhas fraquezas. Nunca me viram comportar-me mal dentro da igreja!

ANDERSON: Dentro da igreja é fácil ser cristão. Eu quero saber, se realmente nossas vidas dão bom testemunho do lado de fora. (levanta sua máscara)

JOÃO: Gente, é melhor nos acalmarmos, estão todos nervosos. Vamos parar de discutir, estamos dando um mau testemunho para o Sérgio. O que ele vai pensar que somos?

Sérgio se aproxima de João, apontando-lhe o dedo.

SERGIO: Não se faz de santinho, não cara, eu e uns colegas bem vimos você agarradinho com uma mina e não era essa aí não. (aponta pra Geisa)

JOÃO: (levanta sua máscara) Você não pode me acusar de nada.

SÉRGIO: Se essa aí é sua namorada (aponta pra Geisa), é uma chifruda.

João tenta agredir Sérgio mas é impedido por Anderson que o segura. João aos berros chama Sérgio de mentiroso. Geisa levanta sua máscara e quer detalhes. Ela ordena a João que se cale e pede a Sérgio detalhes. Sérgio dá os detalhes, ora e dia que o viu com outra menina. Geisa chorando pega sua bolsa pra sair e grita a João que se afaste dela. João pede perdão a Geisa, mas ela dá de ombros. João a segura pelos braços e grita que se ela sair dali desse jeito conta pra todo mundo o que ela faz. Geisa levanta a mão pra esbofeteá-lo, mas João impede, confessando que errou, mas revela que a culpada é Geisa que o estimula com roupas íntimas e intimidades. Geisa envergonhada grita e chora.

TROVÕES E RELÂMPAGOS.

DENISE: Chega disso tudo, eu vou embora daqui agora. (pega na mão de Claudia, puxando-a) Vamos embora, agora Claudia. (Cláudia não quer ir. As duas discutem e Denise bate na irmã.)

Lucas intervem e aos berros: Pelo amor de Deus, vamos ficar todos calmos. Estamos perdendo o controle das coisas.

CESAR: Mande essa cara sair daqui, Lucas (aponta pra Sérgio) Ele é culpado disso tudo. Eu não gostei nem um pouco de você duvidar da minha conversão e saiba que se eu não fosse um homem convertido eu partia a sua cara.

Súbito Sérgio saca um canivete e parte pra cima de César. Gritos. Lucas entra na verdade e é ferido de raspão no braço. Os dois são separados e Lucas fica bem.

ANDERSON: Gente, vamos parar. Será que estão vendo que Sérgio é um mentiroso que quer apenas nos prejudicar. Ele começou defamando Janaína e...

ADRIANA: Não é bem assim, Anderson, você está defendendo a Janaína porque estão namorando escondido.

GEISA: Adriana, porque fez isso? Você não tinha esse direito.

ADRIANA: Cala a boca, chifruda pecadora!

SÉRGIO: (aos berros) Vocês todos vão para o inferno, se é que existe mesmo, isso tal de céu e inferno. Sempre tive dúvidas se Deus existe, e não é com vocês que vou descobrir a verdade. Falam tanto de Jesus e são pessoas piores do que eu que não sigo nada. Por favor, eu não vejo nada de cristãos em vocês. De dependesse de vocês eu nunca me tornarei um crente. Vocês são uns nojos.

4ª PARTE - É PRECISO QUE NASÇAM DE NOVO

GEISA: Não, eu não aceito isso tudo que está acontecendo. Eu reconheço que sou pecadora, mas não quero continuar nesta situação. A vida sentimental é muito complicada se não estiver totalmente nas mãos do Senhor. João, sinto muito, mas não podemos mais continuar. Eu na verdade, não o amo.

DENISE: (chorando) Eu estou cansada de ser cristã, e tudo muito difícil, eu não quero mais.

CLAUDIA: Eu vou contar tudo pro pastor o que está acontecendo aqui.

CÉSAR: Por que estão fazendo isso? Estou decepcionado com vocês. (se aproxima de Lucas) Lucas, foi pra isso que Deus me tirou do mundo das drogas, pra viver num meio assim? Lucas, eu não sei o que vai ser de mim. Lucas chora.

JANAÍNA: Acreditem, tenho buscado em Deus uma mudança em minha vida sentimental. Não quero continuar desagradando o Senhor, e reconheço que preciso totalmente dEle. (Chora). Quero ser fiel.

ANDERSON: Não precisamos nos desculpar de tudo, a vida é assim mesmo, todos erram, não é mesmo Denise!? A Denise faz coisa pior, que é tirar dinheiro da tesouraria.

Denise agride Anderson e tem que ser separada.

LUCAS: Meu Deus, estamos todos perdidos. (aos berros e chorando) Ninguém mais aqui abra a boca pra falar mais nada. Fiquem todos quietos, chega disso tudo. O que pensam que estão fazendo com o corpo de Cristo, estão o transformando num corpo falso. Dentro da igreja os crentes são uma coisa e fora outra totalmente diferente. (cada um vai pra um canto da sala) Fingem que se amam, mas estão enganando uns aos outros, maldizendo, são até capazes de odiar. Falta santificação, e sem ela não veremos a Deus. (Silêncio) Falta mudança de vida, largar realmente as coisas do mundo. Chega, eu não vou ficar aqui pregando tudo que já sabem. Eu quero que todos orem. A minha casa é grande, cada um pode procurar um lugar pra ficar só e buscar o Senhor. Vão, se coloquem aos pés do Senhor. Temos que buscar o Senhor!

Todos saem de cena, ficando apenas Lucas que se ajoelha chorando e Sérgio que observa tudo com um olhar sinistro. Lucas clama ao Senhor, mas é perturbado por Sérgio.

SÉRGIO: Pode levantar Lucas, deixa de bobeira! Seu Deus não pode ouvi-lo.

LUCAS: Por favor, Sérgio, deixe-me orar, preciso orar ao meu Deus.

SÉRGIO: (o empurra no chão) São pecadores de mais pra Deus os ouvir.

LUCAS: Sei Sérgio que você tem motivos pra ter péssimas impressões a respeito de nós, mas quero que saiba que erramos, que somos pecadores e por isso reconhecemos nossa dependência de Deus. Jesus tem poder pra mudar, transformar qualquer viver, fomos comprados pelo Seu valoroso sangue.

SERGIO: Cale a boca, não quero ouvir nada. (Sérgio fica rodeando Lucas)

LUCAS: Se realmente nos entregarmos ao Senhor, nova criatura nos tornamos. Mas infelizmente hoje em dia, muitos dentro da igreja não tiveram um verdadeiro encontro com Cristo, por isso, vivem de aparência, mas chegará o dia da ceifa onde o Senhor recolherá os seus. O que presenciou aqui não deve te servir de exemplo pra nada. O que único exemplo que temos que seguir é Jesus Cristo, não devemos olhar pra homem nenhum, pois são falhos demais. Mas Jesus Cristo não, ele veio pra nos salvar e tudo ele pode fazer por você.

Sérgio dá uma gravata em Lucas, levantando-o do chão.

SÉRGIO: Posso acabar agora com essa sua falação.

LUCAS: (com dificuldade em falar) Faça o que quiser, você pode ferir meu fisico, mas não há nada que possa fazer contra minha alma que pertence ao Senhor.

Sérgio saca o canivete.

SÉRGIO: Não está com medo?

LUCAS: Você não pode nada contra mim, porque o Senhor é por mim. Pode não acreditar, mas enquanto converso contigo estou orando pra que Deus o perdoe e alcance sua alma. Você é muito importante pra ele, e o amo. Eu amo você, Sérgio.

Sérgio larga Lucas.

SERGIO: Eu não devia ter me escondido da chuva nesta casa. (Senta nun canto)

LUCAS: Senhor, ajude-nos.

Lucas sai de cena, ficando apenas Sérgio cabisbaixo.

ENTRAM TODOS AS PERSONAGENS VESTIDOS DE PRETOS. INICIA-SE UMA COREOGRAFIA. HINO: QUANDO DEUS SE CALA – VOZ DA VERDADE. Ou outro hino qualquer que fale que em momentos de lutas temos que confiar que Deus nos ouve, mesmo que pareça o contrário.

5ª PARTE - O PESO DO PECADO

Todos retornam, cada um num canto, procurando não ficarem pertos.

Lucas rompe o silêncio: Não podemos continuar assim, anda, que vai dar o primeiro passo. (Lucas obriga todos a se unirem ligando a mão um do outro, forçando-os a se darem as mãos) Eu quero que todos dêem as mãos. Espero que compreendam que estamos todos mortos, matamos uns aos outros, agora falta fisicamente. O mais importante que é o amor de Cristo em nós, por Ele e por nós, não temos, Vão. Quem vai começar e matar quem e acabar logo com isso? (Silêncio).

Adriana cai de joelhos e chorando joga a máscara fora: Eu quero mudança de vida! Senhor, perdoe-me meus pecados, tire de mim toda minha arrogância, prepotência e preconceito. Liberte-me, Pai, sonda meu coração e verás que estou arrependida.

César também se desfaz da máscara e abraça Lucas chorando: Por favor, ajude-me, não me deixem sozinho. Eu não quero voltar pra vida que tinha antes, amo Jesus e quero crescer em maturidade espiritual.

Lucas também tira sua máscara: Também conto com sua ajuda e sei que juntos em Cristo iremos vencer, saiba que te amo muito.

DENISE: (aos berros) Não, eu não posso pedir perdão, pra mim tanto faz morrer ou viver, não tenho mesmo uma experiência com Cristo!

CLAUDIA: (tira a máscara e se aproxima da irmã) Sei Denise que não tenho lhe ajudado em nada, não tenho nem sido uma boa irmã, mas quero que saiba que você é muito importante pra mim. Me perdoe, eu quero muito que estejamos um dia com Cristo. Oh minha irmã, eu te amo tanto.

Cláudia abraça a irmã chorando. Denise também tira sua máscara e chorando abraça a irmã, beijando-a. As duas se ajoelham orando.

JOÃO: Eu não acho que estou errado. Eu não fiz nada. Sou homem e como tal tenho desejos que tem que ser saciados.

JANAÍNA: O Espírito vence a carne, João, depende de alimentarmos mais o Espírito do que fazer a vontade da carne. (Janaína se aproxima de Anderson) Eu conto com sua ajuda. (Os dois se abraçam, Janaína tira a máscara e se ajoelha em oração) Senhor, entrego toda a minha vida em suas mãos para que se cumpra o seu propósito.

ANDERSON: Vocês todos estão sendo ridículos. Eu não sinto nada de presença de Deus, a verdade que eu faço de tudo para suportá-los, esforço-me para amá-los só porque Deus nos manda.

Com exceção de João e Anderson todos se abraçam, pedindo perdão um ao outro.

SÉRGIO: Eu não acredito em vocês. (aos berros) Se Jesus existe mesmo eu quero ter uma experiência marcante com Ele. Se o Senhor realmente morreu por mim e me ama, eu quero ter uma experiência marcante com ele.

JOÃO: Querem que eu morra? Eu odeio vocês, eu não sou tão pecador assim, não sou.

LUCAS: Jesus quer restaurar as pessoas por inteiro e não apenas dar uma varridinha na casa, é preciso nascer de novo.

6ª PARTE - MEDO

MUSICA SONORA DRAMÁTICA.

Súbito Sérgio começa a passar mal com problemas respiratórios. Lucas é o primeiro a notar e socorre Sérgio que cai em seus braços. Todos se assustam e Sérgio deitado no chão. Ele começa a se debater. Entram em pânico, Lucas entra em desespero chamando por Sérgio. Janaína tenta chamar uma ambulância, mas o telefone não está funcionando. Geisa avisa que a chuva piorou.

Luzes piscando. Lucas com Sérgio em seus braços, sente que ele está morrendo e todos agachados ao redor se apavoram, com exceção de Anderson e João que se distanciam, observando tudo assustados.

Pelo meio da igreja, lentamente, vem entrando a personagem Morte. Uma pessoa toda enfaixada com um buque de Copo de Leite nos braços. Apenas Sérgio pode vê-la e ele se apavora apontando as mãos pra ela, mas ninguém compreende o que ele está tentando dizer.

Luzes se apagam. Gritos e trovões. As luzes se acendem.

ANDERSON: (tira a máscara e se aproxima) Eu fui curado por Jesus de câncer e creio em seu amor e poder. (cai de joelhos). Senhor, eu agradeço-lhe por tudo que tem feito e minha vida e nesse momento coloque-me diante de Ti, reconhecendo minhas falhas e clamo por perdão.

Todos juntos passam a orar pela vida de Sérgio, com exceção de João que se mantém afastado. As mãos e pés de Sérgio entortam e a respiração torna-se mais difícil. Sem ser compreendido ele olha apavorado pra Morte que se aproxima e pede para que orem.

JOÃO: Parem com isso, é melhor enfrentarmos a chuva e conseguirmos um carro para levá-lo para um hospital.

Sérgio balança freneticamente a cabeça em sinal negativo, pedindo que orem.

JANAÍNA: Meu Deus, parece que ele quer que continuemos a orar.

CLÁUDIA: Não sei, ele está falando tudo enrolado. Oh meu Deus, o que vamos fazer?

DENISE: Ele não está em condições de ser removido!

Os jovens se desesperam.

JOÃO: (tira a máscara) A palavra de Deus nos ensina que se orarmos pelos enfermos, em nome de Jesus eles podem ficar curados. (João de joelhos) Senhor, sei que pequei, deixei-me levar pela carne, mas não quero mais isso em minha vida, quero ser um servo fiel. Perdoe-me e nos ajude com Sérgio.

Todos se unem em oração.

A Morte se aproxima de Sérgio, parando ao seu lado. Ele começa a se debater e vomitar. Os jovens se apavoram, mas intensificam a oração.

ADRIANA: (histérica) Não, eu não acredito que ele vai sobreviver. Ele vai morrer! Ele vai morrer!

Todos pedem pra Adriana não desistir da oração, mas ela vai se afastando totalmente histérica. Adriana sai correndo (pelo meio da igreja), mesmo debaixo dos pedidos de ajuda dos irmãos.

A Morte uma a uma vai jogando a flor em cima de Sérgio. Ele se contorce todo. Solta um grito sufocante. Lucas sente Sérgio morrendo e o sacode dramaticamente. Súbito, silêncio e Sérgio morre.

Tristeza e choro. Lucas se debruça sobre o corpo de Sérgio.

LUCAS: É tudo culpa nossa, o sangue dele vai ser cobrado de nós, por tudo que fizemos de errado. (Lucas encara a todos chorando muito) Assassinos! Somos todos assassinos! (Lucas chora convulsivamente).

7ª PARTE - JESUS É VIDA E RESTAURA MEU SER

Lucas se agarra ao corpo de Sérgio e aos berros e sacudindo-o pede pra Deus lhe dar a vida.

ANDERSON: (tentando fazer Lucas soltar Sérgio) Pare com isso, Lucas, ele está morto.

CLAUDIA: Façam ele parar, não adianta mais (abraça a irmã chorando)

LUCAS: Não! Não! Eu não aceito! Sérgio, fala comigo, fala comigo! Sérgio! Deus! Deus! Não!

Súbito volta Adriana toda molhada.

ADRIANA: Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente. Se hoje em dia a igreja não presencia milagres é devido a falta de fé e retidão. O Senhor tem poder pra salvar Sérgio.

JOÃO: Acorda, Adriana, Sérgio está morto.

Adriana ajoelha ao lado de Lucas que permanecia debruçado sobre o corpo de Sérgio.

ADRIANA: Lucas, ora comigo!

Aos poucos todos se ajoelham, silenciosamente.

LUCAS: Pai, conhecemos seu poder e estamos aqui com os nossos corações quebrantados e contritos, clamando pelo perdão de nossas falhas. (Chora)

Todos passam a orar.

Entra um Anjo com uma espada na mão. Ele se aproxima da Morte e num gesto com a espada, derruba todo o buque e a Morte sai . Sérgio solta um grito sufocante e volta a vida, com uma respiração ofegante. Sai o anjo.

Muita emoção e comoção. Lucas é o primeiro a abraçar Sérgio. Todos o abraçam e se abraçam, com muitas lágrimas de alegria.

SÉRGIO: (chorando) Eu vi a Morte me buscar, mas o mais maravilhoso de tudo, foi que vi o Senhor entregar uma espada nas mãos de um anjo! (todos glorificam) Lucas, ajude-me a entregar minha vida pra Jesus, eu quero aceitar Jesus como meu único e suficiente salvador.

Todos saem de cena, ficando apenas Sérgio e Lucas, abraçados e orando.

Saem Lucas e Sérgio e voltam os jovens, um a um, vestidos de branco, se confraternizando. Voltam Sérgio e Lucas também de brancos. E inicia-se uma coreografia com o hino MANANCIAL – LAGOINHA.

No meio do hino, de acordo com a música, entra Jesus seguido de um anjo.

Termina a peça com todos adorando ao Senhor.





0 comentários:

Postar um comentário

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top