Roteiro Traduzido pelo Google

(Dois colegas discuti-se a história do Natal tem qualquer base na verdade enquanto 'Maria' e 'José' viagem a Belém)

Nicola: (levantando um copo) Feliz Natal!

Rod: Feliz Natal para você O que você acha do vinho?

Nicola: Fantastic! Onde é que é?

Rod: Australian Chardonnay - unoaked, é claro. Acho que é seco, mas satisfatoriamente frutado, com uma pitada de pimenta e creamberry. Embala um verdadeiro soco na boca, você não acha?

Nicola (incerteza e com pouco interesse): Bem, sim, acho que você está certo ... (para o garçom) Bill, por favor!

Rod: Não, não! Este é o meu grito!

Nicola: Bem, isso é muito gentil da sua parte.

Rod: Nonsense! Se a pessoa não pode ser generoso no Natal, quando pode um? É o que ele é tudo, não é?

Nicola: (de repente contemplativa): É mesmo?

Rod: (surpreso ao ser desafiado): Desculpe?

Nicola: Quero dizer: é que realmente tudo o que é? Ser generoso?

Rod: (recuperar a compostura e voz pseudy): Bem, isso é, obviamente, uma grande parte dela: 'Paz na terra. Boa vontade para com todos os homens "etc etc etc

Nicola: Mas o que acontece com o homem de Deus tornando-se pouco?

Rod: (inclinando-se para trás): Bem, pode-se, naturalmente, perceber que a narrativa do nascimento de Cristo atinge uma profunda ressonância em nós - como todos os grandes mitos encarnação.

Nicola: Você está dizendo que não aconteceu de fato?

Rod: Eu não iria tão longe ... O que eu diria é que a verdade ou não, de que a história é menos importante do que o fato de que a natureza profundamente atraente do que poderia ser chamado de um mito cultural compartilhada atinge uma nota alegre profundamente em nossa consciência coletiva ...

Nicola: (pausa perplexa) O quê? Oh, você quer dizer que não importa se Deus tornou-se homem ou não, porque todos nós gostamos da história tanto?

Rod: (chocada por ter sua retórica reduzido de forma tão clara): Bem, pessoalmente, eu não iria colocá-lo bem assim ... Mas, tome Mary, por exemplo ...

  (Maria e José começar a sua "viagem" na parte de trás da igreja, até o corredor para a frente, apoiando-se fortemente em Mary Joseph)

Rod: ...... o que é um ícone cultural que ela se tornou, o que é uma imagem inspiradora que evoca: a radiante mãe-de-ser ...

Nicola: ... Ela era praticamente criança sozinha. Ela deve ter sido tão assustada!

(Mary pias para o chão na frente do púlpito:. 'Sinto muito, Joseph, eu não posso ir mais longe "Joseph se move para a direita e mimos para pedir um quarto em uma pousada)

Rod (olha com surpresa no Nicola repentinamente eloquente e tenta novamente atacar uma nota heróico): Então há Joseph forte, silencioso, carpinteiro confiável ....

Nicola: ... Espero que ele se sentia tão assustado quanto ela - e muito inadequado. Quero dizer, ele não poderia mesmo encontrar um quarto decente para ela ter o bebê em!

(Joseph volta para Maria: 'Eu encontrei-nos em algum lugar, amor, mas não é muito .... "Ele a ajuda a seus pés e eles se mover para fora, hesitante, desaparecendo atrás do púlpito)


Rod (de repente, se deixar levar com a sua própria voz, acenando com a taça de vinho no ar etc): É uma imagem maravilhosa, um profundamente, profundamente comovente história, não é? "Não há espaço! Não há espaço! Que pensamento convincente, um paradoxo requintado, essa idéia de que Deus encarnado deve ser nascido em um estábulo!

Nicola (urgência, quase irritado): Mas, supondo que realmente aconteceu - que a história é realmente verdade? E depois?

Rod: Tal suposição em uma sociedade pós-moderna é francamente esticar os limites da própria credulidade.

Nicola: Então você não acredita em você mesmo, então?

Rod: (colocar no lugar) Bem, eu não sei o que eu teria expressou bem assim: há sempre margem para dúvidas (levantando um copo). Felicidades!

Roteiro Original

It’s What It’s All About

(Two colleagues discuss whether the Christmas story has any basis in truth while ‘Mary’ and ‘Joseph’ journey to Bethlehem)
Nicola: (lifting a glass) Happy Christmas!
Rod : Happy Christmas to you!What do you think of the wine?
Nicola: Fantastic! Where's it from?
Rod: Australian Chardonnay - unoaked, of course. I find it dry but satisfyingly fruity with a hint of pepper. It packs a real punch to the palate, don’t you think?
Nicola (uncertainly and with little interest): Well, yes, I suppose you're right…(to the waiter) Bill, please!
Rod: No, no! This is my shout!
Nicola: Well, that's very kind of you.
Rod: Nonsense! If one can't be generous at Christmas, when can one? It's what it's all about, isn't it?
Nicola: (suddenly contemplative): Is it? 
Rod: (taken aback at being challenged): Sorry?
Nicola: I mean: is that really all it's about? Being generous?
Rod: (regaining composure and pseudy voice): Well, that's obviously a large part of it: 'Peace on earth. Good will to all men' etc etc etc 
Nicola: But what about the God becoming man bit?
Rod: (leaning back): Well, one can , of course, appreciate that the narrative account of Christ's birth strikes a deep resonance in us - as do all the great incarnational myths.    
Nicola: Are you saying that it didn't actually happen?
Rod: I wouldn't go quite that far… What I would say is that the truth or otherwise of the story is less important than the fact that the deeply appealing nature of what might be termed a shared cultural myth strikes a profoundly joyful note in our collective consciousness...
Nicola: (puzzled pause) What?! Oh, you mean it doesn't matter whether God became man or not because we all like the story so much?
Rod: (appalled at having his rhetoric reduced so clearly): Well, personally, I wouldn't put it quite like that… But, take Mary, for example...
   (Mary and Joseph start their "journey" from the back of the church, up the aisle to the front, Mary leaning heavily on Joseph)
Rod: ...... what a cultural icon she has become, what an inspiring image she conjures up: the radiant mother-to-be...
Nicola:…She was practically child herself. She must have been so frightened!
(Mary sinks  onto the ground in front of the pulpit: 'I'm sorry, Joseph, I just can't go any further'. Joseph moves off to the right and mimes asking for a room at an inn)
Rod (looks with surprise at the suddenly eloquent Nicola and tries again to strike a heroic note): Then there's Joseph the strong, silent, dependable carpenter....
Nicola: ... I expect he felt as scared as her – and very inadequate. I mean, he couldn't even find a decent room for her to have the baby in!
(Joseph comes back to Mary: 'I've found us somewhere, love, but it's not very much....' He helps her to her feet and they move off, haltingly, disappearing behind the pulpit)
Rod (suddenly, getting carried away with his own voice, waving his wine glass in the air etc): It's a wonderful picture, a deeply, deeply moving story, isn't it? 'No room! No room!' What a compelling thought, an exquisite paradox, this idea that God incarnate should be born in a stable!
Nicola (urgently, almost crossly): But, supposing it actually happened - that the story is really TRUE? What then?
Rod: Such a supposition in a post-modern society is frankly stretching the boundaries of one's credulity.
Nicola: So you don't believe it yourself, then? 
Rod: (put on the spot) Well, I don't know that I would have phrased it quite like that: there's always room for doubt (raising a glass). Cheers!

0 comentários:

Postar um comentário

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top