Autor Desconhecido

Véspera de Natal, 3 jovens cristãos discutem sobre o natal, desejos e significado. Um Anjo aparece e os leva por uma viagem no tempo.
Na Era Pré-Histórica, encontram um homem pré histórico, tentam comunicação, e querem saber sobre o natal;
São levados a um Campo de Concentração, uma família de Judeus vai para a câmara de gás no dia de Natal.
No Futuro encontram o mundo pós arrebatamento onde é proibido falar em Jesus, e o natal é apenas uma festa.
A última parada é na Manjedoura, quando Jesus nasceu trazendo esperança e Salvação.
PERSONAGENS:
Anjo. Júnior, Luizinho, Lúcia, Homem pré-histórico, Maria (mãe de Jesus), José (Pai de Jesus), Mulher judia, Homem judeu, Criança judia, Soldado alemão, Homem do futuro, Mulher do futuro, Pregadora, Agente do Anti-Cristo, Narrador

CENÁRIO deve ser preparado de acordo com as cenas

CENA 1 (Véspera de Natal)

NARRADOR:  É véspera de Natal! A tarde é bela e três jovens amigos passeiam por uma praça no centro da cidade, eles estão felizes e param ao lado de uma bonita estátua que parece um anjo. Os três jovens são evangélicos e começam a conversar sobre o sentido do Natal.
JÚNIOR: O Natal significa o nascimento de Jesus, mas as pessoas veem se esquecendo disso.
LÚCIA: Eu concordo, mas... acho que pode existir presentes, panetone e muita alegria no Natal.
LUIZINHO:  Mas gente... nos temos que entender que o sentido do Natal pode ser deturpado pelo diabo. Imaginem no passado, o Natal iniciou para lembrarmos do nascimento de nosso Salvador...
LÚCIA: Mas eu gosto de panetone!
JÚNIOR: Eu gosto de pernil!
LUIZINHO:  Mas e o nascimento de Jesus? Não podemos nos esquecer do motivo, as essências do Natal!
NARRADOR:  A discussão continua por alguns minutos, mas os três jovens concluem que são muito inexperientes para obter todas as respostas, principalmente para a pergunta do “Por que o Natal foi tão distorcido?”
LÚCIA: Olhem que estátua linda!
JÚNIOR: Ela parece tão viva. Parece que olha para nós.
(Luizinho pergunta brincando)
LUIZINHO:  Hei estátua! Você está viva?
(A estátua se mexe e os jovens se assustam e gritam.)
LÚCIA: Não é uma estátua! É de verdade!
LUIZINHO: O que é você?
JÚNIOR: Deve ser pegadinha do Sérgio Malandro ou pegadinha do Faustão.
ANJO:   Não sou estátua. Sou um anjo do Senhor!
LUIZINHO: Um anjo? Um anjo de verdade?
JÚNIOR: Eu ainda acho que é pegadinha da televisão. Cadê a câmera escondida?
ANJO:  Não é pegadinha! O Senhor Deus me enviou para que possa auxiliá-los em respostas sobre o sentido do Natal!
JÚNIOR: Então não é pegadinha? Você é um anjo?
ANJO:  Exatamente!
LÚCIA: Glória a Deus! Eu sabia que Jesus nos auxilia sobre o Natal.
ANJO:  Aquilo que você aprenderem devem repassar para toda a igreja.
JÚNIOR: Como nos vamos passar para a igreja. Nós não somos pregadores.
ANJO:  Deverão fazer uma peça de teatro e apresentar para a igreja. Através do teatro trarão a mensagem.
LUIZINHO:  Qual mensagem? O que você vai nos mostrar?
ANJO:  Vou leva-los para o passado e o futuro da humanidade. E nestes tempos diferentes vamos entender como as pessoas vivem a essência do Natal ou porque desprezam.
LÚCIA: Nós vamos viajar no tempo?
ANJO:  Sim! Primeiro vamos para o passado.
JÚNIOR: Mas cadê a máquina do tempo?
ANJO:  Não precisamos de máquina. Apenas deem as mãos e segurem na minha mão e viajaremos.
(Eles dão as mãos mutuamente.)
LUIZINHO: Para onde vamos?
ANJO:  Para a era pré-histórica.
Fecham as cortinas.

CENA 2 (Era pré-histórica)

NARRADOR:  Luzes piscavam e os jovens sentiram como se atravessassem um longo túnel. Eles se sentiam como se voassem. Subitamente abriram os olhos e não estavam na mesma praça, estavam em um mundo diferente... o anjo os levára para os primórdios da humanidade. A Era pré-histórica. Mas o que poderíamos aprender sobre o Natal na era pré-histórica?
O homem pré-histórico entra no palco, ele bate a clava no chão e rosna
JÚNIOR: Olhem! Um homem pré-histórico!
LÚCIA: Vamos falar com ele.
ANJO:  Calma! Não o assustem!
(O homem pré-histórico se afasta, assustado com os estranhos.)
ANJO:  Falem com ele sobre o Natal.
(Os jovens se aproximam novamente, desta vez o homem não se assusta.)
LUIZINHO: Hei homem pré-histórico, você sabe o que é o Natal?
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal?
LUIZINHO: Isso! Natal!
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal!
LUIZINHO: Jesus nasceu no Natal.
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal!
LUIZINHO: Jesus! Você sabe? O filho de Deus.
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal!
LÚCIA: Ele não sabe quem é Jesus. Nessa época Jesus ainda não nasceu!
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal!
JÚNIOR: Natal! Também é tempo de presente!
(Júnior dá seu relógio para o homem pré-histórico.)
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal! Presente!
LÚCIA: Mas Natal não é só presente. Natal é o nascimento de Jesus!
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal! Presente!
LÚCIA: Não, seu troglodita! Não é só presente! Natal é o nascimento de Jesus!
(O homem pré-histórico fica nervoso e se afasta gritando:)
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Natal! Presente! Natal! Presente! Natal! Presente!
LÚCIA: Tem que ser um homem pré-histórico. Ele só quer saber do presente.
JÚNIOR: Ele nem desejou saber de Jesus.
LUIZINHO: Ele é muito burro e materialista... tem que ser um homem pré-histórico.
ANJO:  Será que apenas os homens pré-históricos são assim? Será que as pessoas modernas e inteligentes do tempo de vocês se lembra de Jesus no Natal? Ou preferem presentes e outras coisas materiais? Será que nos dias de vocês os homens e mulheres não são piores que os pré-históricos?
LUIZINHO: Anjo, você tem razão. Nosso mundo é muito materialista, por isso valoriza mais os presentes e festas que o nascimento do nosso rei Jesus.
(O homem pré-histórico aparece novamente, ele joga o relógio e diz:)
HOMEM PRÉ-HISTÓRICO: Qué não! Relógio do Paraguai!
(Os jovens riem. O anjo indica que eles deem as mãos novamente)
ANJO:  Agora vamos para outra época. Uma época não tão engraçada.

CENA 3 (Campo de Concentração)

NARRADOR:  Novamente os jovens voam através do túnel do tempo e chegam a milhares de anos depois da era pré-histórica. A data é 25 de dezembro de 1943 e o lugar é o campo de concentração Auchiwizs dos nazistas alemães. Nesse campo de concentração, todos os dias morriam milhares de judeus assassinados pelos subalternos de Hitler. Famílias inteiras eram conduzidas para as mortais câmaras de gás. Um lugar triste, de uma época triste... Um casal de judeu, juntamente com seu filho, esperam o momento de serem mortos. É Natal...
JÚNIOR: Onde estamos?
LUIZINHO: Que lugar esquisito e triste.
LÚCIA: Anjo, onde estamos?
ANJO:  No Campo de Concentração alemão de Auchiwitz, durante a segunda guerra mundial.
JÚNIOR: Onde morreram os judeus?
ANJO:  Sim! Onde milhões de judeus foram sacrificados pela maldade nazista.
LUIZINHO: Mas Anjo... aqui é muito perigoso. Se os soldados alemães nos virem, seremos mortos.
ANJO:  Eles não vão nos ver. Estamos invisíveis a todos e vamos apenas observar. Ninguém pode nos ver.
LÚCIA: Nesse lugar é melhor ser invisível.
JÚNIOR: Mas... por que estamos aqui?
ANJO:  Estamos no dia 25 de dezembro de 1943, é dia de Natal. Vamos observar o que vai ocorrer para estas pessoas neste Natal. Olhem aquela família, eles estão aguardando a vez de serem lançados na câmara de gás para morrer. Vamos observá-los.
(O homem judeu abraça seu filho e esposa)
HOMEM JUDEU: Não fiquem tristes, hoje é Natal!
MULHER JUDIA:  Do que adianta. Nós vamos morrer.
HOMEM JUDEU: Não vamos sofrer mais... Hoje é Natal... Jesus nasceu... e também nasceu em nossos corações. Lembrem-se do que Jesus disse: Ainda que estejam mortos, viverão...
ANJO:  Ele é um judeu que se converteu ao cristianismo. A alguns anos, juntamente com sua esposa, aceitou Jesus como seu Senhor. Mas mesmo assim, sua ascendência judia, o condenou ao campo de concentração.
LUIZINHO: Não podemos fazer nada? Vamos ajudá-lo!
ANJO:  Não podemos intervir, estamos apenas assistindo...Somos apenas espectadores.
(A criança judia começa a chorar. )
HOMEM JUDEU: Não chore meu amor! Hoje é Natal! Jesus nasceu! E nós vamos viver a eternidade com Ele!
(Eles se abraçam.)
HOMEM JUDEU: Vamos cantar uma musica de Natal. Para alegrar nossos corações. Noite feliz... Noite feliz (começa a música Noite Feliz).
Um soldado alemão, com a arma na mão, entra gritando.
SOLDADO ALEMÃO:  Calem a boca! Calem a boca judeus desgraçados!
(O soldado empurra a família)
SOLDADO ALEMÃO:  Chegou a hora de morrer! Para a câmara de gás!
(Eles caminham abraçados e o homem judeu fala para a família:)
HOMEM JUDEU: Não tenham medo. Teremos o melhor Natal de nossas vidas na presença de Jesus.
(O soldado alemão empurra a família para dentro do câmara de gás, a partir de uma porta e diz, após fecha-la:)
SOLDADO ALEMÃO:  Feliz Natal! Morram seus vermes!
(O soldado alemão vai embora. Os jovens ficam tristes.)
LÚCIA: Isso foi horrível! Esse alemão é um monstro. Que Natal horrível!
ANJO:  Não! Não foi horrível! Eles sabem o que significa o Natal, principalmente, eles sabem porque Jesus veio a este mundo... para nos salvar. Como disse o homem judeu, depois daquela câmara de gás e da morte... ele tiveram o melhor Natal de suas vidas na presença de Jesus.
LUIZINHO: Mas e o soldado alemão? Ele sabia que era Natal.
ANJO:  Do que adianta saber que é Natal? Aquele homem é um escravo de seus pecados e maldade. Alguém acorrentado ao ódio. Do que adianta saber que 25 de dezembro é Natal se Jesus ainda não nasceu em seu coração e tornou suas atitudes verdadeiramente cristãs. Atitudes de amor, paz, tolerância e respeito.
ANJO:  – Aquele não foi um Natal horrível para aquela família judia, foi um Natal horrível para o soldado alemão que não entende quem foi, ou o que ensinou Jesus. Assim é o Natal sem Jesus. Um Natal vazio. Vamos para outra época. Vamos viajar para o futuro.

CENA 4 (O Futuro)

NARRADOR:  Agora o destino é o futuro em um tempo depois do nosso. Um tempo diferente... com pessoas diferentes. Como será o Natal nessa época?
LÚCIA: Que lugar legal! Aqui é muito melhor que o campo de concentração.
JÚNIOR: Em que ano estamos?
ANJO:  Tudo que sei dizer é que se trata de um tempo depois de 25 de dezembro de 2002(usar o ano atual, texto escrito em 2002). Agora não poderemos saber se dez, vinte ou cem anos depois.
JÚNIOR: Anjo, por que não podemos saber o quanto avançamos no futuro?
ANJO:  Pois estamos em meio a Grande Tribulação. O governo do Anti-Cristo, ou seja, o arrebatamento da igreja já ocorreu e apenas o Pai sabe a data da volta de Jesus. Saber em que ano estamos, significaria saber a data da volta de Jesus e isso, nem eu, nem vocês,podem saber.
LUIZINHO: O Anti-Cristo está aqui?
ANJO:  Esse é o mundo sob o comando do Anti-Cristo. Mas graças ao Fiel Deus estamos novamente invisíveis a todos. Vamos apenas observar o Natal.
(Uma mulher PREGADORA:  e um casal sobem ao palco. A pregadora para o casal e fala:)
PREGADORA:  Posso falar com vocês por alguns minutos?
HOMEM DO FUTURO:  Sim! Em que podemos ajudar?
PREGADORA:  O que significa o Natal para vocês?
MULHER DO FUTURO:  Natal? Muita festa! Muita comida!
HOMEM DO FUTURO:  Natal? Muita bebida! Whisky! Vinho! Champanhe!
PREGADORA:  Mas e o nascimento de Jesus?
MULHER DO FUTURO:  Quem?! Você é louca? Não fale esse nome perto de nós!
HOMEM DO FUTURO:  O mestre proibiu até pronunciarmos esse nome. Nosso Natal será como sempre foi, apenas bagunça e satisfação física.
PREGADORA:  O Natal significa o nascimento de Jesus. Apesar de já ter ocorrido o arrebatamento da igreja, ainda existe oportunidade de salvação. Jesus precisa nascer em nossos corações.
MULHER DO FUTURO:  Sua louca rebelde!
HOMEM DO FUTURO:  Rebelde! Você está pregando contra o mestre da nova ordem mundial. Nunca ocorreu arrebatamento, foram extras terrestres que levaram os religiosos fanáticos da Terra.
PREGADORA:  Foi Jesus que buscou sua igreja. Não podemos esquecer de Jesus. Hoje é Natal! Jesus nasceu.
HOMEM DO FUTURO:  Cale a boca! Jesus não existe! Natal não tem nada haver com Jesus!
MULHER DO FUTURO:  Não fale mais com essa maluca. Vamos chamar os policiais para prender essa rebelde.
HOMEM DO FUTURO:  Polícia! Uma rebelde!
(Um agente do Anti-Cristo entra correndo.)
MULHER DO FUTURO:  Essa louca está pregando sobre Jesus. Falando que o Natal significa o nascimento de Jesus.
AGENTE ANTI-CRISTO:  Isso é verdade? Você está falando sobre Jesus?
PREGADORA:  Sim! O Natal significa o nascimento de Jesus. Ele nasceu em meu coração e esta é a única oportunidade de salvação.
AGENTE ANTI-CRISTO:  Não fale esse nome. É proibido!
(A pregadora corre até a beira do palco e diz para o público:)
PREGADORA:  Não existe Natal sem Jesus... Não existe vida sem Jesus. Eu nunca vou abandonar Jesus.
(O agente aponta a arma para a pregadora e declara:)
AGENTE ANTI-CRISTO:  Na autoridade da lei da Nova Ordem Mundial, eu ordeno que você negue esse falso Deus. Amaldiçoe seu Deus e declare o mestre da Nova Ordem.
PREGADORA:  Não posso. Eu perdi o arrebatamento mas não vou abandonar meu Jesus.
AGENTE ANTI-CRISTO:  Negue ou vou executá-la.
PREGADORA:  Hoje é Natal. Jesus nasceu em meu coração.
AGENTE ANTI-CRISTO:  Então morra!
(O agente atira na pregadora que caí no chão.)
JÚNIOR: Não! Anjo, faça alguma coisa!
ANJO:  Não posso.
LÚCIA: Mas por que? Ela estava falando de Jesus.
ANJO:  Assim será na Grande Tribulação, após o arrebatamento da igreja. Será proibido falar em Jesus. Estranho é que em nossos dias, as pessoas tem a oportunidade de servir a Deus, falar de Jesus e se esquecem de nosso Salvador até mesmo no Natal.
ANJO:  Nunca se esqueçam! Não virem as costas para Jesus. Consagrem suas vidas para Ele. Pois o futuro após o arrebatamento será de muitas dores e morte. Neste Natal, que as pessoas possam olhar para seus corações e verificarem se Jesus realmente nasceu em seu interior. Nunca abandonem Jesus!
LUIZINHO: Anjo! Tudo isso é horrível! O Campo de Concentração, o futuro e a grande tribulação. Estou me sentindo muito triste.
JÚNIOR: Eu também! Sinto meu coração pesado.
ANJO:  Vamos agora para nossa última etapa da viagem pelo tempo.
LÚCIA: Para onde vamos?
ANJO:  Viajar para um passado longínquo... onde tudo começou. Vamos para uma cidade chamada Belém.
Eles dão as mão e se fecham as cortinas.

CENA 5 (A Manjedoura)

NARRADOR:  Diz a Bíblia, no evangelho de Lucas, capítulo dois: Naqueles dias saiu um decreto da parte de César Augusto, para que todo o mundo fosse recenseado. Este primeiro recenseamento foi feito quando Quirínio era governador da Síria. E todos iam alistar-se, cada um à sua própria cidade. Subiu também José, da Galileia, da cidade de Nazaré, à cidade de Davi, chamada Belém, porque era da casa e família de Davi, a fim de alistar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. Enquanto estavam ali, chegou o tempo em que ela havia de dar à luz, e teve a seu filho primogênito; envolveu-o em faixas e o deitou em uma manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.
LUIZINHO: Olhem aquela manjedoura!
JÚNIOR: Estamos em Belém? No dia do nascimento de Jesus?
(O anjo se prostra.)
ANJO:  Ajoelhem-se, estamos diante do Rei dos Reis.
(Todos se ajoelham.)
LÚCIA: É a cena mais linda e emocionante de minha vida.
ANJO:  Esse é o início de uma história de salvação e amor. Uma história que mudou o destino de milhões de almas.
LUIZINHO: Estou tão emocionado. Gostaria de dar presentes para Jesus, como os reis magos fizeram.
ANJO:  O melhor presente que vocês podem dar para Jesus, são seus corações.
Presenteiem Jesus com seu amor.
LUIZINHO: Posso começar... Como presente, eu digo: Obrigado, Jesus, porque um dia o Senhor nasceu e nos trouxe uma nova esperança. Posso sentir essa nova esperança em meu ser.
JÚNIOR: Agora sou eu: Obrigado, Jesus, pelo seu grande amor. Eu te amo.
LÚCIA: É minha vez: Obrigado, Jesus, pois nós sabemos o que o Natal. Ele relembra sua vinda para nos salvar. Eu agradeço e quero ensinar a todos que o Senhor é nosso Salvador, um Deus de Amor Maravilhoso.
MÚSICA DE NATAL.
ANJO:  Agora vamos! Precisamos voltar.
LUIZINHO: Eu quero ficar com Jesus.
ANJO:  Você vai viver a eternidade ao lado de Jesus. Agora você precisam voltar e dizer para todos a importância do Natal, pois comemoramos a vinda de nosso Salvador.
TODOS: Sim!
JÚNIOR: Mas... anjo... Nós já transmitimos a mensagem... Olhem para essas pessoas que agora entendem o que é o Natal. E para todos vocês:
TODOS: Um feliz Natal com Jesus!
FIM e GLÓRIAS A DEUS

0 comentários:

Postar um comentário

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top