JUIZ -  Este tribunal está aberto. (Bate martelo) Ese é o julgamento de Ramón, que foi condenado por múltiplos assassinatos premeditados. Qual é a recomendação do Estado?

PROCURADOR -  O estado pede a pena de morte, Meritíssimo.

JUIZ - Advogado de defesa, o que você diria?

DEFESA - Meritíssimo, como sempre, a nossa organização se opõe à pena de morte. Nosso apelo habitual para o júri está na base de punição cruel e incomum. Mas como esse é um julgamento de bancada e não há júri, devemos apelar para a sensibilidade do Sr Meritíssimo, que sabemos ser um cristão conservador.

PROCURADOR - Meritíssimo, é apropriado para trazer a religião para o argumento?

JUIZ - Bem, devo dizer que, à luz do advogado de defesa do organizações objetivo de erradicar todos os vestígios do cristianismo da vida pública, esta não parece ser uma boa estratégia. Apesar de muitas oposições e leis, eu não tenho nenhuma objeção ao uso de argumentos religiosos com relação a pena de morte. Prossiga.

DEFESA - Obrigado, Meritíssimo. Como você tão bem afirmou nossa organização não é bem versado em assuntos de doutrinas Cristãs. Mas eu tive a oportunidade de digitalizar a Bíblia por alguns instantes. E parece-me a partir de descrições nos evangelhos que em todos casos de pecado, Jesus perdoaria.

JUIZ - (pausa) Isso é tudo? Esse é o seu argumento Bíblico?

DEFESA - Sim. E eu acho que é um argumento poderoso. Jesus Perdoaria.

JUIZ - Advogado?

PROCURADOR - (sorri maliciosamente) Meritíssimo, eu acho que o advogado de defesa tem um ponto lá.

DEFESA - Huh?

PROCURADOR - Sim, muito claramente, a Bíblia diz que se nós humilhamos e confessarmos os nossos pecados, Jesus poderia de fato perdoar.

DEFESA - O que você está fazendo?

PROCURADOR - Se o réu se humilhou e levou a responsabilidade de tudo e de cada assassinato premeditado ....

DEFESA - Isso é um truque, não é? Você está tentando fazer com que o meu cliente confesse os assassinatos, de modo que não teremos outros recursos.

JUIZ - O que tem isso, Advogado?

PROCURADOR - O argumento de Defesa conselho contra a morte pena é baseado na idéia de que Jesus iria perdoar. Eu não sou de negar essa ideia, estou apenas afirmando as condições para o que foi por você mencionado.

DEFESA - Você está tentando me enganar. Você está tentando me levar a  se afastar do foco, e pena de morte!

JUIZ - Por favor, Advogado, envie seus comentários para o tribunal.

DEFESA - Tudo bem, para fim de argumentação. Vamos supor que que o meu cliente , efetivamente, se humilhou diante de Deus e admite a todos cada um dos seis assassinatos premeditados. O que acontece então? Será que o Ministério Público indicar uma sentença menor?

PROCURADOR -Uma sentença menor?

DEFESA - Sim, talvez a vida na prisão sem a possibilidade  de liberdade condicional?

PROCURADOR - A vida na prisão sem possibilidade de liberdade condicional? Mas Jesus perdoaria.

DEFESA - Você está dizendo que você consideraria um menor  sentença, digamos, prisão perpétua com a possibilidade de liberdade condicional?

PROCURADOR - A pena de prisão é uma pena dura. Mas Jesus perdoaria.

DEFESA - O que você está fazendo?

JUIZ - Por favor, Advogado, dirija seus comentários para o tribunal.

DEFESA - O procurador planeja algo, eu sei disso.

JUIZ - Advogado, vai fazer alguma coisa?

PROCURADOR - Meritíssimo, se o argumento da defesa é o conselho "Mas Jesus perdoaria " por que deveríamos punir o réu em tudo? Jesus perdoaria.

DEFESA - Você está brincando, certo? Ela está brincando, certo?

JUIZ - Advogado?

PROCURADOR - Bem, se os únicos motivos para o perdão são humildade e confissão, eu estou disposto a liberar o prisioneiro,  desde que qualquer condenação caia sobre o Advogado.

JUIZ - Advogado?

DEFESA - Você só pode estar brincando! Você está dando a para prisão preventiva custódia de um assassino em série para mim?

PROCURADOR - Sim.

DEFESA - Eu, pessoalmente!

PROCURADOR - Sim.

DEFESA - Ele é um serial killer! Eu acabaria morto assim como suas outras vítimas! Isso seria cruel e uma punição incomum para mim!

PROCURADOR - Mas, Jesus perdoaria.

DEFESA - Isso não é o que eu esperava! Olha, eu não sei muito sobre a Bíblia, mas eu tenho certeza que Jesus não estava falando sobre os governos que perdoa assassinos condenados a fim de deixar eles matar novamente. Ele deve ter falado sobre Deus perdoar indivíduos por sua culpa. Sim, é isso. Jesus perdoaria. Mas isso não se aplica aqui.

PROCURADOR - Eu concordo.

JUIZ - Eu também. Parece que estamos de volta à pena de morte.

DEFESA - Não vamos voltar muito longe. É tarde demais para mudar minha estratégia? Que tal punição cruel e incomum?

JUIZ - Advogado?

PROCURADOR - o próprio Jesus submetido à pena capital. Assim fez o apóstolo Paulo. Por uma questão de fato 11 dos doze apóstolo submetido à pena capital por delitos menores do que assassinato.

DEFESA - (murmura) Ele está frito.

JUIZ - Muito bem, este tribunal se submete à lei da terra, que, de acordo com o ensino e a prática bíblica, afirma que se o homem tira a vida de um homem feito à imagem de Deus, a sua vida será executada. Venho por este meio pedir a pena de morte do réu nos termos da lei e por Deus. (Bate o Martelo) Esta tribunal está em recesso. (Sai)

(Obs: Esse roteiro foi retirado de um site estadunidense, sendo que lá a pena de morte é permitida em 36 dos 50 estados, mas é um tema polêmico que se for analisado biblicamente não é permitido nem condenado explicitamente. Mas cada Estado define a sua lei e os seus Estatutos! O final dessa história pode ser diferente, mas este é apenas o roteiro original)

0 comentários:

Postar um comentário

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top