Autor: Amós Alves de Souza 

Personagens: Miguel, empresário, Mateus (que é o funcionário), amigo do empresário, evangelista, além do narrador 

Observação: essa peça foi inspirada na música "O crente Miguel de Eliseu Gomes" por isso gostaria que antes ou depois da peça fosse feita a menção do cantor e da musica como forma de honrar pela vida e obra dos irmãos em Cristo" 

(não tem ninguém no cenário) 

Narrador: Numa cidade do interior havia um grande empresário e não havia homem mais rico nas redondezas, ele tinha muitos funcionários um desses chamava-se Miguel que era um cristão temente a Deus e sempre falava do amor de Deus para seu chefe, porém o empresário nunca dava ouvidos. 

(entram o empresário e o funcionário) 

Empresário: estou muito feliz com minha empresa 

Funcionário: por que patrão? 

Empresário: as ações na bolsa aumentam a cada dia, sem contar o número de novos clientes e se continuar assim não vai demorar muito e serei um grande milionário. 

Funcionário: mas patrão o senhor já se perguntou o porquê de tudo isso? 

Empresário: disso o que? Num vá começar com aquele papo do Miguel de que existe coisa mais importante nessa terra... que o dinheiro não é tudo... afinal se ele existe não é para ser usado? 

Funcionário: é, possa ser que o senhor tenha razão, só mim pergunto qual o maior valor que a vida pode ter? 

Empresário: eu não sei responder essa pergunta besta, mas sei de uma coisa, que eu sou rico e é isso que importa e ainda tenho muita vida pela frente. 

(o funcionário sai se cena e entra uma pessoa evangelizando, ele entrega um folheto para o empresário que começa a ler) 

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. Mateus 6:19-21" 

Empresário: só podem esta doidos como é que eu posso ajuntar tesouro no céu sendo que eu moro na terra 

Evangelista: não senhor, o que essa palavra quis dizer é que você tem que buscar as coisas de Deus e assim o senhor estará ajuntando tesouros no céu, que é a salvação e o amor de Deus. 

Empresário: (rindo) você só pode esta brincando, sabe de uma coisa, eu não preciso ajuntar nada, já sou rico. 

(joga o papel fora e sai depois entra Miguel e o funcionário) 

Funcionário: bom dia Miguel 

Miguel: bom dia Mateus 

Funcionário: sabe estive recentemente conversando com o patrão e comecei me perguntar o que faz a minha vida valer verdadeiramente a pena? Para o patrão é o fato dele ter dinheiro, mas... Sei lá... Eu acho que não é isso, acredito que exista algo maior. 

Miguel: eu também mim questionava assim, até que descobrir que Jesus havia comprado minha vida com preço de sangue, Ele deu seu máximo morrendo por mim e hoje vivo em obediência a Ele como uma forma de retribuir aquilo que Ele fez por mim. 

Funcionário: e isso já é o suficiente para minha vida? 

Miguel: eu poderia dizer que qualquer coisa pode mim fazer feliz aqui na terra, mas é o amor de Deus que dá sentido a tudo, e se eu for fiel até o fim serei feliz para sempre. O dinheiro e as riquezas desse mundo não se comparam com a Glória de Deus. 

Funcionário: mas nesse caso é errado ter muito dinheiro como o patrão? 

Miguel: claro que não! Só não devemos amar mais o dinheiro que a Jesus. A bíblia fala que não podemos amar a Deus e as riquezas. Mas não é só o dinheiro, bens materiais, profissão, ou qualquer outra coisa desse mundo passageiro não devem estar acima de Jesus, não é errado eu ter dinheiro ou qualquer outro bem porque precisamos deles para viver aqui na terra, porem devo em primeiro lugar amar as coisas de Deus, pois elas sim são as verdadeiras riquezas para a nossa vida. 


Funcionário: é Miguel se o que você diz é verdade não só o patrão esta errado como eu também estou, vejo que tenho colocado as coisas do mundo acima das de Deus. 

Miguel: fico feliz que você reconheceu seu erro 

Funcionário: agora eu gostaria ainda mais que o patrão entendesse isso também antes que seja tarde. 

Miguel: calma, eu tenho orado por ele e sei que Jesus vai fazê-lo compreender a verdadeira importância da vida e que as riquezas desse mundo não são maiores que as do céu. 

(os dois saem e o narrador fala) 

Narrador: depois de alguns dias o patrão se encontra com o Miguel que acaba trazendo uma noticia que o deixa muito preocupado 

Miguel: oi patrão como vai o senhor (com um rosto preocupado) 

Empresário: muito bem, mas você me parece estar muito abatido 

Miguel: estou muito preocupado com um sonho que tive, e acho que o senhor deveria tomar cuidado. 

Empresário: agora você mim preocupou, que sonho é esse, e por que devo ter cuidado? 

Miguel: no meu sonho eu via um velório nessa noite e no caixão estava escrito “jaz o homem mais rico da cidade” depois disso assustei e acabei acordando. Não quero dizer que o senhor vai morrer, mas talvez Deus esteja querendo que você mude. Pense nisso patrão 

(Miguel sai e o Empresário começa a refletir) 

Empresário: será verdade esse sonho, talvez seja só um sonho, afinal de contas esse Miguel vive dizendo sobre minha riqueza... Mas ele não falaria isso se não fosse algo importante? 

(chega um amigo do empresário) 

Amigo: oi amigo, porque você está com essa cara? 

Empresário: é que acabei de ouvir um sonho do Miguel 

Amigo:(com ironia) um sonho, mas isso lá é coisa que se deve preocupar 

Empresário: é que no sonho ele via um caixão que dizia "jaz o homem mais rico da cidade" e ele disse que o velório seria essa noite. 

Amigo: amigo eu se fosse você não se preocuparia, pelo que já ouvi desse Miguel, ele é um crentinhofanático, mas se você esta tão preocupado, procure os melhores médicos da cidade e faz uns exames e não sai de casa aí você vai ver que não tem nada errado. 

Empresário: verdade, não tinha pensado nisso, já estava quase querendo virar um cristão igual oMiguel 

(os dois saem rindo mas o empresário continua meio abatido) 

Narrador: o empresário foi para casa, chamou vários médicos e todos diziam que ele estava bem, mas mesmo assim continuava preocupado, pois mesmo depois das palavras do amigo continuava sabendo que o Miguel era um crente fiel. Na manhã seguinte nada tinha acontecido e o empresário estava muito feliz quando de repente é surpreendido por uma infeliz notícia. 

(entra primeiro o empresário depois o funcionário) 

Funcionário: patrão, patrão! 

Empresário: é o que homem? 

Funcionário: o Miguel faleceu, e como ontem eu o vi conversando com o senhor talvez o patrão saiba algo porque ninguém consegui explicar sua morte 

(o empresário começa a pensar e fala) 

Empresário: será que o Miguel tinha dinheiro guardado em algum lugar? 

Funcionário: como assim? 

Empresário: ontem ele chegou com um a conversa de que o homem mais rico iria morrer naquela noite, e como eu que sou o mais rico da cidade achei que fosse eu, mas, pera ai... agora compreendoque ele se referia a ele e não a mim. (o empresário baixa a cabeça e fica um tempo em silencio como se estivesse chorando depois se direciona a plateia e fala normalmente, fora do personagem) 

Quantas vezes achamos que as riquezas desse mundo é que nos fazem felizes, e esquecemos que nosso vida aqui na terra é como o vento que rapidamente passa pela terra, quando nos preocupamos mais com as coisas desse mundo que com as coisas de Deus esquecemos que nada desse mundo será levado para a glória. E se você se encontrasse como aquele empresário que da noite para o dia a morte vivesse a porta, qual seria sua preocupação, seria com as riquezas desse mundo ou com as riquezas de Deus pois o empresário achava que era rico mas Miguel era mais rico pois tinha Deus no coração.
Baixe em pdf Aqui
Roteiro fiel ao autor

0 comentários:

Postar um comentário

Não utilize palavras de baixo calão ou algo que venha denegrir a imagem de alguém. Grato!

 
Top